O fungo oportunista

Você já parou para pensar que temos muitos hospedeiros em nosso corpo? Não? Esses dias estava analisando essa situação e tirei a conclusão de que as vezes temos medo de tanta coisa boba, por exemplo, uma barata, que mal ela faz?

Muitas mulheres se apavoram por causa desse bichinho que para mim e asqueroso e nojento. Me assusto com elas, mas não tenho medo, apesar de que aqui no Brasil elas são verdadeiras monstras e que voam.

Nos Estados Unidos as mulheres tem um pouco mais de sorte, porque elas são bem menores. Mas enfim, porque comecei a falar sobre esse animal que tira o sossego de muitas mulheres?

Porque muitas vezes o maior perigo está dentro de nós mesmas. E não estou falando só de fundo emocional onde muitas mulheres sofrem da tal de síndrome do pânico. Mas esse e um assunto muito longo e para outro blog ou site.

Estou falando de um perigo biológico que se esconde dentro de nós e que se hospeda tranquilamente no nosso corpo, fica lá quietinho como um rato sorrateiro esperando que alguém de mole com a comida.

Esse fungo e conhecido como Cândida Albicans, e dá muito trabalho quando resolve dar o ar da graça.  Existem vários fungos Cândida como o tropicalis, kefyr, glabrata entre outros, mas o Cândida Albicans e o mais conhecido por ser o responsável em causar o famoso sapinho nos bebes, a irritante afta na boca e outras micoses no corpo que são também conhecidas como a Candidíase.

Esse fungo vive em nosso corpo e ao menor sinal de baixa imunidade ela encontra uma brecha para atacar. O lugar preferido dele e o tubo intestinal, podendo também se locomover e se instalar no períneo. Quando se instala no períneo e facilmente levado para o anus, e depois para a vagina.

Por isso que quando criança a menina já e ensinada a se limpar de frente para trás, pois as chances de trazer a colônia são menores. Outros fatores que causam a candidíase genital e o sexo anal sem os cuidados necessários.

Por isso que esse fungo e conhecido como oportunista, porque ele se aproveita da fragilidade do corpo para atacar causando muito desconforto. Quando a candidíase e oral causa vermelhidão e manchas brancas e espessas. Mas quando e genital o incomodo se torna bem maior, porque além da vermelhidão, há também irritação, dor e muita coceira, causando um desconforto enorme no ato sexual para ambas as partes.

Tenha sempre em mente que para manter um corpo saudável e necessário uma boa alimentação, exercícios físicos, constante checkup com o médico e higiene acima de tudo. Essas medidas ajudam você a manter o fungo no lugar dele, ou seja alojado na sua colônia e não sair de la. Já que não tem jeito de se livrar dele de uma vez por todas, torne-se forte e saudável para não dar chances a esse oportunista.

E se acontecer desse fungo atacar procure um médico que ele irá lhe orientar quanto ao que fazer. Há pessoas que procuram remédios caseiros como o yogurt que e bom para a candidíase vaginal ou outras formas naturais de se combater o fungo.

A candidíase não e considerada uma doença pois carregamos conosco ao longo da vida o responsável por ela. Ela pode sim ser transmitida pelo contato com uma pessoa que tenha o fungo atacado, mas não e nada crônico se tiver todos os cuidados necessários.

Mas atenção porque a candidíase também pode levar uma pessoa a óbito se não for levada a sério e não ser tratada de maneira adequada, por isso a importância de se procurar um médico dependendo do quadro ou grau do “ataque”.

Protocolos do Jejum Intermitente

 

jejum intermitente

 

Todos estão ouvindo falar e muito dessa dieta que está mexendo com a cabeça de muita gente. Muitas pessoas que está aderindo a nova pratica estão amando os resultados e fazendo um esforço tremendo para ficar muitas horas sem comer. Mas ser que isso e um mito ou e verdade? Será que a famosa dieta de comer a cada 3 horas não funciona mais? Ou não traz os resultados desejados?

Há controvérsias entre os profissionais da saúde que alegam ter total e plena confiança no jejum intermitente, muitos estudos falam sobre os benefícios que ele a saúde tanto para mulheres como para os homens. E você já tentou fazer o jejum intermitente alguma vez?

Ao contrário da dieta tradicional não existe nada de ficar cuidando para a cada 3 horas comer alguma coisa. Essa dieta e totalmente diferente e conta com cinco protocolos para segui-la, que vou abordar nesse artigo.

Mas antes de falar dos protocolos, e sempre bom lembrar que só um profissional da saúde, ou seja, um médico ou nutricionista, saberá lhe indicar a melhor forma de emagrecer, pois você fara exames específicos que lhe dirão como e o seu metabolismo, qual o seu grau de imunidade no corpo, coração, pulmão, enfim, se você está apta (o) a seguir uma dieta dessa maneira.

A primeira vista pode parecer assustador para alguns, desafiador para outros ou até fácil para as pessoas que já fizeram algo parecido, mas à medida que se avança na dieta o corpo vai se adequando ao novo habito e consegue alinhar os pontos.

Depois de passar por um médico ou nutricionista existem 5 formas diferentes de se fazer o jejum intermitente, e são elas:

  • Protocolo 1 – 16/8: Nesse tipo tem que se ficar sem comer durante 16 horas para os homens e 14 horas para as mulheres, e depois voltar a comer normalmente no período de 8 horas para homens e 10 para as mulheres, e claro que com uma alimentação balanceada. Comer muita proteína, comer mais carboidratos e calorias nos dias de treino. Comer mais gordura e menos calorias nos dias de repouso.
  • Protocolo 2 – 16/4/4: Nesse ficar as 16 horas sem comer e depois 4 horas com proteínas e as outra 4 horas a vontade para comer o que quiser, e claro que, em se tratando de uma dieta, esse “comer o que quiser” tem que ser moderado e sem doces, bebidas alcoólicas, massas, refrigerantes, etc.
  • Protocolo 3 – 24 ou 48 horas: Conhecido como “come-para-come” consiste em comer durante 6 dias e parar 24 horas para fazer jejum, nesse tipo também pode-se escolher outro dia e jejuar por mais 24 horas.
  • Protocolo 4 – 20 a 22 horas: Fazer uma refeição grande por dia, com período de alimentação de 2 a 4 horas comendo mais frutas e verduras. Esse tipo de dieta exige bastante da pessoa, nem todas as pessoas conseguem ficar tanto tempo sem comer por dia e acabam exagerando no período liberado para comer.
  • Protocolo 5 – 36 horas: Parecido com o regime de 24 horas, mas com o período de 36 horas sem comer. Por exemplo se a pessoa janta as 20:00 em uma segunda-feira, só terá a próxima refeição as 8:00 da manhã na quarta-feira. Ou seja, jejum de 36 horas por 1 dia ou 2 dias na semana.